sexta-feira, novembro 26, 2004

a idade...

Este é o primeiro post que escrevo com óculos postos. Aliás, é a primeira coisa que faço desde que uso óculos, há já cinco minutos!
A médica disse para eu não me habituar muito a eles porque até vejo bem. São só para descansar os olhos. É a idade...
Toma lá uns Tommy Hilfiger com 0,25 em cada olho e vai brincar aos intelectuais. É que quando me vejo ao espelho até pareço mais inteligente.

|

segunda-feira, novembro 22, 2004

...que seja fraude da TVI!

Deus queira que os resultados das votações do público para as expulsões da Quinta das Celebridades sejam de facto fraudes que em nada reflectem a vontade popular mas sim os interesses da TVI em manter os cromos mais mediáticos no ecrã.
Não que eu esteja preocupada com o ganhador ou com as fraudes. Não que eu me sinta uma espectadora insultada. Ao contrário do que seria de esperar, desejo mesmo que sejam fraudes os resultados. Só assim me aliviaria do desconforto de saber que José Castelo Branco é o mais querido dos portugueses.
Não costumo ver este programa, mas confesso que já assisti a várias cenas. Confesso até que por vezes fico parada à frente do ecrã repetindo para mim mesma “isto não é possível”. A Tica sai da sala porque não aguenta o espectáculo.
Pois e é esta simpatia por alguém tão reaccionário, fútil, ofensivo, abusador, mal-educado e snob que me assusta. E reparem que não disse ridículo. Ser ridículo é desculpável e discutível.
Mas no seu papel de bicha, vai somando fãs, ávidos de bobos da corte, que o gozam (no duplo sentido de usufruir e ridicularizar) por ser o “maricas”. Que giro!
Espero que se lembrem que o senhor não é “maricas”, e que apesar de ser um verdadeiro trangénero chega a ser homofóbico quando lembra irritado que não é homossexual, ou quando transpõe uma conversa que teve com o filho: “O pai não roubou, não matou, não é gay, qual é o problema?” Adorei o pacote! Que tal “O pai é um parvo, qual é o problema?”.
Bichas sim parvos não. E ele é um parvo, não é uma bicha.

|

sexta-feira, novembro 19, 2004

Peru au Whisky

Aqui vai uma receita ideal para amantes da gastronomia natalícia


Ingredientes:

1peru de uns 5 kg, para seis pessoas
1 garrafa de whisky,
350 ml de azeite
500 g de bacon em fatias
sal e pimenta q. b.

Confecção:

Envolva o peru no bacon, unte-o com azeite, tempere com o sal e a pimenta. Massage-o com um pouco de whisky.
Pré-aqueça o forno durante uns dez minutos.
Sirva-se de uma dose de whisky enquanta aguarda. Use uma travessa para colocar o peru no forno. Sirva-se e tome mais duas doses de whisky.
Ajuste o termostato na marca 3 e debois de 20 binutos ponha a assassinar, não, a assar. Derrube tres doses de whisky.
Bedois de beia hora, forne a abertura e controle a assadura do pato.
Pegue a gafarra de biscuit e derrame um boa dose por tras da fragata.
Debois de meia de brucos, balanze ate ao forno, abra a borcaria da borta do vorno e ponha-se no peru, não!!
Bolte o peru no outro sentido.
Queime a mão ao fechar a borcaria da borta, gaita !
Tente sendar-se na gadeira, tente servir mais um copo no uisqui, ou, ao contrario, tanto faz.
Cozer (?), costurar (?), cozinhar (?), gomo é gue se esgrebe? Deixe no vorno por ubas guarto horas.
Afaste-se 5 bassos ou mais... Ahhh... Gue bom é sentarrrr! Retire o vorno do peru.
Mande bais um uisgui em ciba.
Tente dirar o forno do sacana do beru de nobo, borque na primeira daaaaaaaooo deeeeu Pegue no beru que caiu no jao, enjugue o gajo com um bano e jogue-o num trato, nao, num rapo, num gato, numa pandeja, uma goisa dessas... Bonha em zima da sala da besa e zirva-se de bais aguilo! Diga a alguém bara a sala vicar quieda. zzz... zzz... zzz...

|

O Natal é quando um homem quiser

E os comerciantes e os autarcas querem que seja de Outubro a Janeiro.
Por mim está bem.
Creio que a ideia é preparar tudo com muita antecedência para que as festas sejam bonitas. A parte da santidade da época passa-me um pouco despercebida, e confesso que quando no final de Setembro vi o primeiro Pai Natal a sorrir num anúncio, pensei ter acordado errada no mês. Mas era mesmo Setembro.
Este ano o Aki foi o vencedor da corrida. Ainda eu não me tinha refeito dos cartazes do "Regresso às Aulas" já havia luzes a piscar por todo o lado.
E como não quero ficar fora desta corrida contra o tempo, o meu próximo post é já uma sugestão para a ceia de Natal. Uma receita que recomendo aos amantes da boa gastronomia.

|

terça-feira, novembro 16, 2004

Resposta

Pela Mascote fui levada aos comentários de um post escrito num blog chamado Letras com Garfos.
Comentei também e recebi a resposta ao meu comentário. Já tudo era triste mas esta resposta foi assustadora. Foi de tal maneira que tive de deixar novo comentário. É o meu texto em resposta ao Orlando, que aqui partilho convosco. Provavelmente não entenderão algumas das referências, mas se passarem por lá ficam ilucidados.

"Sinceramente, Orlando, lamento desiludi-lo mas continuo a considerá-lo ignorante. Alguém que se refere aos homossexuais como, e cito: “uma elite com um estilo de vida excentricíssimo” só pode ser mesmo ignorante. Adorava saber onde é que eu fico no meio disto, uma vez que sou homossexual e ao mesmo tempo não me sinto pertencer a nenhuma elite e muito menos tenho um estilo de vida excentricíssimo: hoje fui dar aulas, depois fui almoçar a casa dos meus pais, vou preparar uns exercícios para os alunos e vou prepara uma reunião, mais logo vou fazer sopa de legumes e carne assada. A minha mulher há-de chegar, jantamos, vemos um pouco de televisão ou lemos, iremos dormir. É claro que não está à espera que eu me exceda e fale na minha vida sexual pois não? Também não me parece que o Orlando goste de falar da sua, e com toda a razão. A intimidade é intimidade para todos, embora por vezes se confunda isso.
Por isso, realmente acho que ignora a realidade e baseia o seu discurso homofóbico, sim porque é realmente homofóbico, numa pseudo-ciência. Se não gosta de se sentir homofóbico não o seja. Não preciso que esteja do meu lado, se não estiver contra mim já é bom. Continuo sem entender em que medida viver a minha vida afectiva de modo livre pode ser uma ameaça para a sociedade. O Orlando, na sua desmontagem, preconceituosa e incoerente, como só o preconceito permite ser, tentou explicar essas razões. Chegou mesmo a por em negrito a frase: Os homossexuais constituem um erro biológico, conforme comprovado cientificamente. Segundo a OMS eu não sou doente, e quem sou eu para, questionar, mas o Orlando é, rodeado da sua sabedoria desactualizada. Mas mesmo assim, mais uma vez acho que o vou desiludir: não me custa nada aceitar que sou um erro genético ;) E se for? Nasci assim, com erro no sistema. O que me custa a aceitar é que haja gente que acha exactamente isto, que é um erro biológico, e que portanto temos de pagar com infelicidade este azar, gente que diga frases do género, como podemos ver nos comentários em cima, “hão-de engolir o pão que amassaram” . Eu sinceramente não acho que seja um azar. Tenho uma vida afectiva bem preenchida e sou feliz. Agora, Orlando, já imaginou o azar que teria um filho seu se fosse homossexual? Eu tive sorte com os meus pais.
Temos de proteger a sociedade do quê? De que homossexuais “venham a ter o estatuto social igual ao casamento entre uma mulher e um homem base da família genuína e sustentáculo da nossa sociedade”. Eu quero lá saber se é casamento, se é outro nome qualquer. O que eu quero é poder entrar no hospital para ir ver a minha mulher, com quem já vivo há 4 anos, onde só pode entrar um primo afastado, porque eu não sou de família. O que eu quero é que a casa que comprámos juntas fique para ela se eu morrer, em vez de ter de a partilhar com uns primos meus que eu quase nem conheço. O que eu queria é que nenhuns pais dissessem a um filho que para eles ele morreu porque é gay. O que eu queria é que pessoas como o Orlando parassem e pensassem que raio de ameaça é que afinal somos? Tenho amigos com filhos e nunca sentiram ameaça alguma com a nossa presença. O que é que acontece? Os filhos podem ficar gays por verem as tias (e o que será que vêem afinal)? Toda a sociedade fica gay? E o que é feito do erro biológico? Afinal é por contágio? Se desde cedo se explicar que ser homossexual é tão natural como ser louro ou moreno, garanto-vos que não há problema. Serão certamente adultos que não quererão impedir a felicidade de outros apenas porque se sentem afectivamente e sexualmente atraídos por pessoas do mesmo sexo. Porque no fundo resume-se a isto. Quais “estilo de vida excentricíssimo” , se calhar tenho uma vida mais calma do que a sua Orlando. Não vejo vantagem em ter de viver a minha vida afectiva de forma clandestina e infeliz. Não vejo de que modo isso o possa fazer mais feliz a si. E não tenha medo, porque a sociedade soma e segue. Sempre houve homossexuais. Os gregos até se saíram muito bem e não tinha estes problemas. Não é preciso ter formação na área da filosofia para se saber o que é preconceito, um dicionário banal resolve o problema.
Quanto ao lobby fabuloso que me trouxe até aqui, foi um simples blog que costumo ler. A autora estava triste com o que leu e eu resolvi vir aqui. Sim, leio muitos blogs de gays. Por vezes é a única forma de não nos sentirmos sozinhos num mundo onde temos de andar escondidos.
Interrompi a escrita deste comentário porque a minha mulher telefonou a perguntar se era preciso trazer pão. Mais uma das nossas loucuras típicas do nosso estranho comportamento desviante e excêntrico. Elas até se telefonam para saber se é preciso pão! São mesmo amorais!
E pronto queria só agradecer os parabéns dados anteriormente pelo meu poder de síntese e pedir desculpa por não ter cumprido as expectativas nesse campo. Realmente não consegui ficar indiferente à resposta. Espero ter sido elucidativa. Mas sei que as ideias pré-fabricadas são difíceis de desmontar. Faça um esforço Orlando, a sério, não estou a ser irónica agora, imagine que nasceu igualzinho ao que é mas que trazia aquilo a que chama o erro biológico, conforme comprovado cientificamente. Que mundo é que o Orlando acha que merecia então? Merecia menos? Eu acho que não."
Teca

|

De homossexualidade & preconceitos (sob o nome de Deus como álibi!)

Recentemente, uma célebre animadora de rádio dos EUA afirmou que a homossexualidade era uma perversão: « É o que diz a Bíblia no livro do Levítico, capítulo 18, versículo 22: " Tu não te deitarás com um homem como te deitarias com uma mulher: seria uma abominação". A Bíblia refere assim a questão. Ponto final », afirmou ela.
Alguns dias mais tarde, um ouvinte dirigiu-lhe uma carta aberta que
dizia:
«Obrigado por colocar tanto fervor na educação das pessoas pela Lei de
Deus. Aprendo muito ouvindo o seu programa e procuro que as pessoas à minha volta a escutem também. No entanto, eu preciso de alguns conselhos quanto a outras leis bíblicas.
Por exemplo, eu gostaria de vender a minha filha como serva, tal como nos é indicado no Livro do Êxodo, capítulo 21, versículo 7. Na sua opinião, qual seria o melhor preço? O Levítico também, no capítulo 25, versículo 44, ensina que posso possuir escravos, homens ou mulheres, na condição que eles sejam comprados em nações vizinhas. Um amigo meu afirma que isto é aplicável aos mexicanos, mas não aos canadianos. Poderia a senhora esclarecer-me sobre este ponto? Por que é que eu não posso possuir escravos canadianos? Tenho um vizinho que trabalha ao sábado. O Livro do Êxodo, capítulo 25, versículo 2, diz claramente que ele deve ser condenado à morte. Sou obrigado a matá-lo eu mesmo? Poderia a senhora sossegar-me de alguma forma neste tipo de situação constrangedora? Outra coisa: o Levítico, capítulo 21, versículo 18, diz que não podemos aproximar-nos do altar de Deus se tivermos problemas de visão. Eu preciso de óculos para ler. A minha acuidade visual teria de ser de 100%? Seria possível rever esta exigência no sentido de baixarem o limite?
Um último conselho. O meu tio não respeita o que diz o Levítico, capítulo 19, versículo 19, plantando dois tipos de culturas diferentes no mesmo campo, da mesma forma que a sua esposa usa roupas feitas de diferentes tecidos:
algodão e polyester. Além disso, ele passa os seus dias a maldizer e a blasfemar. Será necessário ir até ao fim do processo embaraçoso que é reunir todos os habitantes da aldeia para lapidar o meu tio e a minha tia, como prescrito no Levítico, capítulo 24, versículos 10 a 16? Não se poderia antes queimá-los vivos após uma simples reunião familiar privada, como se faz com aqueles que dormem com parentes próximos, tal como aparece indicado no livro sagrado, capítulo 20, versículo 14?
Confio plenamente na sua ajuda. »

|

segunda-feira, novembro 15, 2004

Bem-vindos à Casa Nova

Sim, somos nós mesmas, Tica e Teca com as malas por desfazer.
Esperámos que o senhorio da rua Blogger Br arranjasse os estragos no velho apartamento, mas não tivemos sorte. Não conseguimos publicar nada desde dia 5 e já perdemos a esperança de recuperar o antigo endereço. HTTP Status 500 - Internal Server Error e toma lá bolachas.
Assim, largámos móveis e tudo e viemos para este novo T2, agora na Rua Blogspot, onde aliás mora a maior parte dos nossos amigos.
Refizemos a decoração, e até pendurámos novos retratos, agora sim os nossos retratos verdadeiros.
Depois de mais de um ano na Rua Blogger Br, vai ser certamente difícil recuperar todas as visitas habituais que iam lá a casa tomar o costumeiro chá. É que nem sequer consigo escrever um post a avisar que nos mudámos.
Esperamos que continuem a gostar de vir aqui ao T2. E quem tiver o nosso link pode mudá-lo, porque não devemos mesmo voltar ao antigo apartamento.
E agora vou dar uma voltinha pela vizinhança para dar uns cartões e convidar o pessoal para vir aqui beber chás, cervejas, tinto, verde à pressão, leite, café etc.

|

domingo, novembro 14, 2004

alô alô

experiência! 1, 2, 3!

|

quarta-feira, novembro 10, 2004

mudámo-nos!

Passamos a vida nisto!

|